Muito atura quem precisa

Posted: Março 25, 2011 in civilização, cultura, Jornalismo, progresso, Sonhos, vida

Foi-se, pelo menos para já, um dos maiores perigos que Portugal conheceu, depois de aceite a sua demissão por parte de outro dos grandes perigos com o qual o país gosta, aparentemente, de conviver. Enquanto isso, os abutres políticos tiram as medidas ao moribundo, pensando nas mil e uma formas de tirarem partido da bonança com que vêm sonhando há meses.

Mas qual é o nome do jogo? Claramente trata-se de usar o estatuto político para proveito pessoal, sustentado em todo o tipo de mecanismos legais que os próprios desenvolvem – como o caso da imunidade parlamentar – para legitimar todo o tipo de atropelos. O País é só o meio para um fim.

O actual presidente da república (minúsculas criteriosamente escolhidas) participou activamente em tais orgias, o que só ajuda a definir o seu carácter, sendo notável que o país tenha escolhido colocá-lo em Belém em vez de em Caxias (bem sei que só 23% optaram por tal, mas isso parece ter chegado).

Entretanto, sobre o provavelmente futuro ex primeiro ministro já muito se escreveu sem que a vias de facto se chegasse, perdendo com isso o país a oportunidade de proporcionar aos dois galos actualmente no poleiro um “flat share” em Custoias.

E em tempo de austeridade surgem agora exemplos escandalosos de dispêndio que, mais do que esbanjador é, quase seguramente, criminosamente planeado.

A imagem à direita (com link para o video de onde foi tirada) mostra como o Estado pagou 85 mil Euros por 5 dias de trabalho de re-styling the um website. É uma das minha áreas profissionais e posso garantir-vos que é uma absoluta exorbitância, impossível de explicar (sem correr o risco de prisão) num mercado altamente competitivo e com muitos fornecedores de enorme qualidade, mesmo considerando a possibilidade de trabalho de equipa e, por isso, de um esforço maior do que a duração apresentada.

Não me parece que com a eventual substituição de Socrates por um qualquer outro mamão dos que se apresentam na corrida se resolva o problema. Mas venha quem vier, com que matéria prima terá de reconstruir o país? Numa clara demonstração da ineptitude da governação portuguesa dos últimos anos, o Wall Street Journal relembra-nos que apenas 25% da população portuguesa entre os 25 e 64 anos acabou o ensino secundário, contra 85% da Alemã e 91% da Checa.

Se até o trabalho qualificado é hoje automatizado ou comprado às economias emergentes do BRIC, o Portugal inculto e tecnicamente incapaz está condenado à segunda liga da Europa, se não for antes disso empurrado para a terceira do Mundo.

E como em terra de cegos quem tem um olho é rei, é natural que venham a agravar-se as assimetrias sociais, fazendo com que cada vez menos tenham cada vez mais do pouco que resta.

Isto cria oportunidades para o aumento da criminalidade, não só da parte de quem precisa de comer como por parte de alguns daqueles que querem mater a sua condição privilegiada, abrindo mais caminhos para o crime de colarinho branco descrito acima.

Outros, cansados da situação nacional e mais bem equipados para competir, abandonam o país para, por um lado, satisfazerem as suas necessidades financeiras e culturais e, por outro e por consequência, afundarem o país ainda mais no seu buraco (do país, leia-se!).

Assim, e desprovidos dos recursos necessários para tomarem a iniciativa de mudança, por clara falta de skills e cultura, fica o povo português condenado à execução do Estado (e de que Estado!!!) e exposto aos riscos consequentes. Como diz a nossa sabedoria popular, muito atura quem precisa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s