King Size & Light

Posted: Fevereiro 24, 2011 in cultura, Sonhos, vida

Com mais um mês chega mais uma prestação da Fenther.

Desta vez não sabia o que escrever. Ou melhor, sabia o quê mas não sabia como.

No primeiro artigo pus o dedo nas editoras e nos consumidores de música, desta vez queria olhar para quem a cria.

O artigo começou por analítico, e ao fim de duas frase já estava a detestá-lo. Sugeriram-me que ouvisse um jazz e escrevesse no dia seguinte. Foi o que fiz. As som do Esbjörn Svensson Trio li um pouco da Lenda de Talhuic, de Marc De Semdt e isso inspirou-me para uma coisa diferente.

Escolhi escrever de uma maneira nova para mim. Não sei se é bom ou mau, mas procurei abordar a questão da autenticidade na arte, e das escolhas que qualquer pessoa tem de fazer ao longo de uma vida. Chamei-lhe King Size & Light.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s